segunda-feira, março 13, 2006

 

Planeamento e projecto de um hipermercado


Neste artigo explica-se como deve ser organizado o layout de uma loja, dando alguns exemplos para o caso de um supermercado, válidas para um hipermercado. São feitas recomendações muito importantes sobre a entrada, espaço, circulação, sinalização, exposição dos produtos, área de vendas, armazém, segurança e, ainda, sobre a fachada, montras, prateleiras, caixas, expositores, balcões, sanitários e escritório.

SEBRAE-SP. São Paulo - Como Organizo uma Loja? Consultado a 13 de Março de 2006.

Comments:
Circulação e estacionamento automóvel nos hipermercados:

O Conselho de Ministros resolveu, a 13 de Abril de 1995, ratificar o Plano Director aprovado pela Assembleia Municipal de Portimão, em 7 de Outubro de 1994, excluindo de ratificação o artigo 63.º do Regulamento do Plano. No n.º 1 do artigo 48.º daquele regulamento, são definidas as regras a que ficam sujeitas a circulação e estacionamento automóvel nos espaços urbanos e urbanizáveis, nomeadamente, na alínea 7), nos hipermercados.

Nos hipermercados com área bruta superior a 2 500 m² e inferior ou igual a 4 000 m² é obrigatória a existência de uma área de estacionamento no interior do lote equivalente a cinco lugares de estacionamento, para veículos ligeiros, por cada 100 m² de área útil de vendas e mais de um lugar de estacionamento, para veículo pesado, por cada 500 m² de área bruta de construção destinada ao armazenamento de produtos;

Nos hipermercados com superfície bruta superior a 4 000 m² é obrigatória a existência de área de estacionamento no interior do lote, cuja dimensão deverá ser definida por estudo específico a apresentar pelo promotor, nos termos legais em vigor, nunca podendo ser inferior à estabelecida na alínea 6), para edifícios e áreas destinados a comércio retalhista.

Em todas as situações, e independentemente da necessidade de dar cumprimento ao estabelecido na Lei n.º 12/2004 de 30 de Março, é obrigatória a apresentação de um estudo de tráfego, contendo, designadamente, elementos que permitam avaliar: a acessibilidade do local em relação ao transporte individual; a capacidade das vias envolventes; a capacidade de estacionamento do próprio lote, do empreendimento e nas vias que constituem a sua envolvente imediata; e o funcionamento das operações de carga e de descarga.

A Lei n.º 12/2004 de 30 de Março estabelece o regime de autorização a que estão sujeitos a instalação e a modificação de estabelecimentos comerciais a retalho em livre serviço e revogou legislação anterior.

PORTUGAL, Presidência do Conselho de Ministros –
Resolução do Conselho de Ministros n.º 53/95
de 7 de Junho. 1995, artigo 48.º, n.º 1, 7).
 
Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação



<< Home

This page is powered by Blogger. Isn't yours?