sexta-feira, maio 12, 2006

 

Equilíbrio entre mercados geograficamente separados (I)


Considerem-se duas regiões, 1 e 2, separadas geograficamente, sendo:

T12 = custo de transporte por unidade dos produtos exportados da Região 1 para a Região 2; e

T21 = custo de transporte por unidade dos produtos exportados no sentido inverso.

Os custos de transporte não são necessariamente os mesmos, nos dois sentidos, na medida em que podem não ser funções lineares da distância geográfica. As vias de transporte não são necessariamente reversíveis e os custos de transporte podem incluir seguros, juros, capital imobilizado e taxas, para além dos custos dos fretes propriamente ditos. Suponha-se, para simplificar, que os custos de transporte por unidade são independentes da quantidade de produtos exportados.

Sejam A1 e A2 os preços de equilíbrio entre a oferta e a procura regionais, sem levar em consideração o comércio inter-regional.

Supondo que não há restrições ao comércio entre os dois mercados quais são os preços P1 e P2 e outras características do equilíbrio nas duas regiões, após as trocas comerciais?

Se A1 < A2 e A1 + T12 < A2, ou seja, A2A1 > T12, os produtos passam da Região 1 para a Região 2, mas se A1 + T12 > A2, ou seja, A2A1 < T12, não há comércio inter-regional.

Inversamente, se A1 > A2 e A2 + T21 < A1, ou seja, A1A2 > T21, há fornecimento de produtos da Região 2 para a Região 1, ao passo que se A2 + T21 > A1, ou seja, A1A2 < T21, também não há comércio inter-regional.

Assim, se a diferença entre os preços inter-regionais é inferior ao custo unitário de transporte, não há exportação de uma região para outra, P1 = A1 e P2 = A2.

Se a diferença de preços pré-comerciais for superior ao custo unitário de transporte, é compensador aos produtores da região de preços mais baixos exportar para a região de preços mais altos enquanto a diferença de preços entre os dois mercados cobrir ou exceder as despesas de transporte. Em equilíbrio, os níveis de preços das duas regiões diferem exactamente do custo unitário de transporte no sentido do fluxo comercial. Nessa situação já não é compensador aos produtores exportar de uma região para outra.

Os níveis de preço de equilíbrio, P1 e P2, assim como os fluxos inter-regionais de produtos (E12 = - E21 e E21 = -E12, onde E representa as exportações e -E as importações, com uma das equações igual a zero) são determinados pela procura e oferta em ambos os mercados e pelos custos unitários de transporte. Isto pode ser visto na Figura 1, onde:

D1D1 e S1S1 representam as curvas da procura e oferta na Região 1, cuja intersecção determina o preço A1; e, da mesma forma, para D2D2, S2S2 e A2, em relação à Região 2.

Figura 1. Equilíbrio entre dois mercados geograficamente separados
(carregar com o cursor na figura para ver em tamanho grande)


Com A1 < A2, o eixo horizontal esquerdo, para a região de preço mais baixo (Região 1), é elevado em relação ao do lado direito, para a Região 2, no montante do custo unitário de transporte T12, de modo que se pode determinar se há exportação da Região 1 para a Região 2 até que um equilíbrio seja atingido. Como A2 excede A1, em mais do que T12, a Região 1 exporta para a Região 2. Como a oferta líquida é, consequentemente, reduzida na Região 1 e aumentada na Região 2, P1 > A1, ao passo que P2 < A2.

O equilíbrio é atingido no ponto em que E12 = - E21 e P1 + T12 = P2.

RICHARDSON, Harry W. – Economia Regional: Teoria da Localização, Estrutura Urbana e Crescimento Regional. 2.ª ed., Rio de Janeiro, Zahar Editores, 1981.

Comments: Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação



<< Home

This page is powered by Blogger. Isn't yours?