terça-feira, maio 23, 2006

 

Modelos de dispersão espacial (II)


b. Curvas da procura dos compradores distantes mais baixas, porém mais elásticas

Para ilustrar esta situação e o efeito que tem sobre a discriminação espacial dos preços, suponha-se que as curvas da procura são lineares e que cortam ambos os eixos. Suponha-se, também, que os compradores têm procura idêntica, a não ser no que se refere ao efeito dos custos de transporte. Os custos de transporte podem ser vistos como uma dedução em relação à curva da procura, fazendo, portanto, que ela se desloque para baixo numa medida igual a esses custos. Na Figura 1, DB transforma-se em DA, ambas as curvas com a mesma inclinação, quando o custo unitário de transporte = T, supondo-se constante a despeito da variação na quantidade da procura. Do ponto de vista do vendedor, as curvas da procura dos compradores distantes são idênticas às curvas do comprador próximo, a não ser no que se refere ao efeito redutor dos custos de transporte.

Figura 1.
(carregar com o cursor na figura para ver em tamanho grande)


Dadas curvas da procura como DB e DA, em que B é o consumidor à porta do estabelecimento e A o consumidor distante, vê-se que, dentro dos limites específicos de que se trata, a curva da procura DA é mais elástica. Qualquer mudança nos preços provocará a mesma mudança absoluta na quantidade da procura de A e B,já que as inclinações de DA e DB são iguais, mas a mudança relativa na procura e, portanto, a elasticidade, são menores em B do que em A, porque a procura total de B é maior a qualquer nível de preços. Nesse caso, então, os compradores mais distantes terão uma procura mais elástica que os mais próximos. Pode ser demonstrado que, se isso de facto ocorrer, para maximizar os lucros, os monopolistas discriminarão contra os compradores próximos, que têm a procura relativamente inelástica.

Na Figura 1, suponha-se que os custos marginais do monopolista são constantes, ao nível C, qualquer que seja a quantidade do produto. O monopolista tenderá a igualar a receita e o custo marginais para ambos os compradores, em E e F), e os preços FOB cobrados aos dois compradores são PA e PB. O comprador mais próximo é discriminado em um montante igual a PBPA. Isto é válido a despeito da inclinação das curvas da procura enquanto forem linhas rectas e de igual inclinação. Da mesma forma que para modelos não-espaciais, vale a pena para o monopolista discriminar contra os consumidores de menor elasticidade de renda.

RICHARDSON, Harry W. – Economia Regional: Teoria da Localização, Estrutura Urbana e Crescimento Regional. 2.ª ed., Rio de Janeiro, Zahar Editores, 1981.

Comments: Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação



<< Home

This page is powered by Blogger. Isn't yours?